Total de visualizações de página

quinta-feira, 16 de abril de 2015

AO AVISTARES UMA FOLHA



AO AVISTARES UMA FOLHA 

Ao avistares uma folha
Levada pelo vento
Não te sintas tristonha
Serei eu, para te dar alento

Transformo-me, em tudo quero
Para conseguir estar perto de ti
Acredita, estou sendo sincero 
Poderei até, ser um colibri 

Nos meus sonhos me transformo 
Sempre que penso em ti meu amor
E, por vezes me adorno 
Como uma borboleta, multicor

Esta foi a forma que encontrei 
Para falar deste amor desmedido
E, dizer-te, que nele sempre me Verei 
Voando para ti, e no teu sentido 

Numa folha, pássaro, ou borboleta 
De alguma forma, te irei surgir
E, tal como a ponta desta caneta 
Está escrevendo. Tu me irás sentir

Luís Filipe D. Figueiredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário