Total de visualizações de página

domingo, 19 de abril de 2015

O QUE MEUS OLHOS VIRAM



O QUE MEUS OLHOS VIRAM

O que os meus olhos viram
Jamais vou poder esquecer 
Pois tudo o que sentiram
Fizeram as lágrimas escorrer 

Crianças tristes, rotas, e nuas 
Tiritando de frio, e com fome 
Tanta miséria meu Deus 
Que desigualdade desconforme 

Este mundo infelizmente
Está composto assim
Que poderei fazer de diferente
Para a esta situação pôr fim 

Não posso manter-me calado
Tenho o dever de apelar
De me sentir indignado
E, a todos pedir para ajudar

Não consigo presenciar tudo 
Ver tamanha desigualdade 
Olhai Senhores do Mundo
Esta enormíssima calamidade

Vossos dias são diferentes 
De tal, tenho a certeza
Não continueis indiferentes 
E, acabai com esta pobreza 

Luís Filipe D. Figueiredo

Um comentário:

  1. Essa imagem me dilacera o coração. Até quando a Humanidade permanecerá indiferente a tanta dor, fome e sofrimento?

    ResponderExcluir