Total de visualizações de página

segunda-feira, 6 de abril de 2015

PROCURO-TE ALÉM DO HORIZONTE



PROCURO-TE ALÉM DO HORIZONTE

Procuro-te além do horizonte
Nada vejo tudo é escuridão
E, até as urzes do monte 
Sentem a minha mágoa, e solidão

Quero-te ver, e não consigo
Sinto que estás tão distante 
Procuro um vestígio o teu abrigo
Onde estarás? Meu diamante 

Tal como um pássaro abandonado no ninho
Desfalece de sede, e de fome
Eu sinto-me morrer, sem o teu amor, e carinho

Ai como é dolorosa esta dor que me consome 
Necessito de ti; vem de mansinho 
Vem, abraça-me, e dorme.

Luís Filipe D. Figueiredo
2015-04-06

Nenhum comentário:

Postar um comentário