Total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de junho de 2015

O MUNDO DESABOU EM MEU REDOR



O MUNDO DESABOU EM MEU REDOR 

O mundo desabou em meu redor
No dia que te que te vi partir 
Tudo perdeu a graça meu amor
Não sei mais, para onde ir 

A tua partida repentina 
Deixou-me sem motivo para viver
E, esta dor que não termina 
Faz-me sentir a enlouquecer

As noites são intermináveis
A solidão, é desconforme 
Todos tentam ser afáveis 
Mas esta dor é enorme 

Avolumam-se os lamentos 
O desânimo, e as saudades
provocando-me sofrimentos 
dia a dia, cada vez maiores 

Ao olhar o teu retrato
relembro-me tudo, que vivi
E nem com ele, às vezes mato 
Estas saudades que sinto de ti 

À noite, quando olho o céu 
Na esperança de te avistar
São muitas as vezes que eu 
Te identifico, nele a brilhar 

Não fiques triste, por mim 
Que, um dia para ti, irei voltar
Sei que este amor não tem fim 
E, que nunca nos iremos deixar

Luís Filipe D. Figueiredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário