Total de visualizações de página

quinta-feira, 16 de julho de 2015

VIAGEM AO INFINITO



VIAGEM AO INFINITO

São tantas as saudades que sinto
Minha bela, e maravilhosa flor 
Que te procuro, até no infinito
E, vou atrás de ti, seja onde for 

Procurei-te nas estrelas, em vão
Deixando-me levar pelo vento
E sem saber porquê, perdi a noção 
Se estás na terra ou no firmamento

Voando perdido, e sem rumo
Com o coração amargurado 
Ao passar por uma nuvem de fumo
Perguntei-lhe, se te viu em algum lado 

Ignorou-me, e não me respondeu 
Continuando a vaguear 
Pressinto que algo me escondeu
E, que está tentando-me ocultar 

Sem tirar os olhos dela 
Pouco a pouco vejo-a dissipar
Verificando que afinal foi ela
Que tudo fez para me auxiliar

Deixou-me cara a cara com a lua
Bem de frente para a minha amada
Que se encontrava quase nua 
Aguardando por a minha chegada 

Luís Filipe D. Figueiredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário