Total de visualizações de página

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

CHORO, SEM AS LÁGRIMAS CAÍREM






CHORO, SEM AS LÁGRIMAS CAÍREM

Choro, sem as lágrimas caírem
Se penso em ti, e não te tenho
Choro, sem as lágrimas caírem
Ao ver o teu rosto num desenho

Choro, sem as lágrimas caírem
Ao surgir a noite, e a escuridão
Choro, sem as lágrimas caírem
Ao sentir esta dor, e a solidão

Choro, sem as lágrimas caírem
Ao sentir esta sensação
Choro, sem as lágrimas caírem

Se as sinto escorrer no coração
Choro, sem as lágrimas caírem
Quando em mim morre, a paixão

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

QUERO ESCREVER VERSOS DE AMOR



QUERO ESCREVER VERSOS DE AMOR

Quero escrever versos de amor
Para dizer o que sinto por ti
Quero sonhar, e sentir o teu odor 
E, recordar o dia, que te conheci

Quero fitar os teus olhos
E, olha-los demoradamente 
Quero dizer que são belos
E, que te amarei eternamente

Quero contemplar as estrelas 
E, viajar contigo pela lua
Quero imaginar-te uma delas 

E, unir a minha boca à tua 
Quero selar este amor entre elas
Com o beijo, que o nosso amor perpétua 

Luís Filipe D. Figueiredo

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

VEJO-TE NUA



VEJO-TE NUA
Vejo-te nua
Fico para trás
Atravesso a rua
Que bela, estás
Em frente à janela
Sem pestanejar
Acho que és bela
Desejo-te amar
Envio-te um beijo
Através do vento
Mato o desejo
Com o pensamento
Não perco o ensejo
E, guardo o momento
Luís Filipe D. Figueiredo

sábado, 24 de outubro de 2015

O MEU PASSADO É TUDO QUE EU SOU



O MEU PASSADO É TUDO QUE EU SOU

O meu passado é tudo que eu sou
É o presente, e também o futuro
É a juventude que o tempo levou
É o homem sou, diferente, e seguro

O meu passado é o sonho que sonhei 
É a força que existe dentro de mim 
É a procura do amor que idealizei 
É a persistência de te amar assim 

O meu passado é cada momento vivido
É a saudade existente no coração
É o relembrar de cada momento sofrido

É a tristeza, a angústia, e a solidão 
O meu passado é caminho percorrido 
É, amar-te com esta convicção 

Luís Filipe D. Figueiredo

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

VEM PARA MIM MEU AMOR



VEM PARA MIM MEU AMOR

Vem para mim meu amor 
Não quero partir sem te ver
Vem; vem, voa por favor
És a minha razão de viver 

Sinto-te sem te possuir
Guardo-te dentro de mim
E, é isso que me faz existir 
E, amar-te tanto assim 

A chuva bate na janela
E, nas telhas do telhado
E, eu olho para ela

Com o coração agitado 
Na esperança de ver através dela 
Aquela por quem estou apaixonado

Luís Filipe D. Figueiredo

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

ESTE AMOR QUE ME SUFOCA, E DOMINA



ESTE AMOR QUE ME SUFOCA, E DOMINA

Este amor que me sufoca, e domina
Que muitos classificam de errante
É para mim uma estrela que ilumina
Uma pedra preciosa, um diamante

Vive em mim desde menino 
De forma bela, e impactante 
Sinto-o, ao ver-te sorrindo
Ainda que estejas distante 

É nos teus olhos, que encontro a luz
E, busco a força para o alimentar
É tão fascinante, que me seduz 

E, dentro de mim o sinto a fervilhar 
Deixo-me pregar, se necessário numa cruz
Mas não me peçam para deixar de te amar 

Luís Filipe D. Figueiredo

terça-feira, 20 de outubro de 2015

NÃO POSSO CALAR O MEU GRITO



NÃO POSSO CALAR O MEU GRITO

Não posso calar o meu grito
Quando me recordo de ti
Fico triste, amargurado, aflito
Ao sentir a dor que senti 

Insurjo-me, barafusto, e grito
Sempre que não te respeitam 
Revolto-me, insisto, e persisto
Neste grito que fere o peito 

Grito, e volto a gritar 
Vou gritar enquanto puder
Grito com alma a chorar

Grito em teu nome mulher
O que possam pensar 
Não me importa, gritarei até morrer

Luís Filipe D. Figueiredo

domingo, 18 de outubro de 2015

VIVI MOMENTOS DE AMOR



VIVI MOMENTOS DE AMOR

Vivi momentos de amor
Vivi momentos de ilusão
No coração senti ardor
Na alma senti a paixão 

Cantei o amor a vibrar 
Cantei-o como sentia 
Cantei-o à beira-mar 
Cantei-o como uma melodia 

Cantei-o sem me importar 
A não ser com a sua magia 
Cantei-o para ti a olhar 

E, sentir uma imensa alegria 
Cantei-o a sentir aumentar 
Cada vez mais, dia após dia

Luís Filipe D. Figueiredo

sábado, 17 de outubro de 2015

AMO-TE, TANTO MINHA VIDA


AMO-TE, TANTO MINHA VIDA 

Amo-te, tanto minha vida 
Só tu és o meu amor
Amor, que me causa ferida
E, cada dia se torna maior 

Quanto maior é o meu ardor 
Ao olhar o céu, repleto de estrelas
São tão maravilhosas, e belas
Que dispensam orador

Persuadem por si mesmas 
Tão intensa, é a sua magia
Que, eu perplexo ao vê-las 

Sinto uma enorme nostalgia
Comparo-te com elas
E, voo nesta imensa travessia

Luís Filipe D. Figueiredo

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

QUANDO CHEGO PERTO DE TI



QUANDO CHEGO PERTO DE TI 

Quando Chego perto de ti 
Sinto o sangue a ferver 
Recordo o dia que te conheci 
E, até o desejo de te ter

O loiro, dos teus lindos cabelos
Refletem a luz dos raios solares
E, eu embevecido ao vê-los 
Voo como pássaro, cruzando os ares 

Apaixonado sinto que és minha
Que és aquela, aquém desejei
Aos meus olhos tornas-te rainha

E, na mulher que mais amei
E, ao olhar a tua carinha 
Sinto que sem ti, não viverei 

Luís Filipe D. Figueiredo

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

OLHO NA DIREÇÃO DO OCIDENTE



OLHO NA DIREÇÃO DO OCIDENTE 

Olho na direção do Ocidente 
E avisto ao longe o pôr-do-sol
Com seu ar resplandecente 
Deixando o céu cor de arrebol 

Maravilhado deixo-me voar
E, parto na sua direção
Quando dele estou-me a aproximar 
Vejo a noite surgir na sua imensidão 

Deixo-me abraçar por ela 
E, invadir todo o meu ser
Mais além avisto uma estrela

Que me ilumina até ao alvorecer 
E, é com os olhos pregados nela
Que te revejo, e sinto-me viver

Luís Filipe D. Figueiredo

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

QUANDO SINTO A ALMA A PLANAR



QUANDO SINTO A ALMA A PLANAR

Quando sinto a alma a planar
E, o coração a pulsar de desejo
Encontro o amor no teu olhar
Encontro o amor no teu beijo

Encontro o amor no teu sorriso
Encontro o amor na tua paixão
Que me faz perder siso 
E, sentir esta linda sensação 

Encontro o amor sempre que aliso
Com as minhas mãos os teus cabelos
Encontro o amor quando preciso

Ficar a olha los, achando os belos
Encontro o amor puro, e conciso 
Se sonho contigo, e construo castelos

Luís Filipe D. Figueiredo

sábado, 10 de outubro de 2015

AMO-TE HOJE E AMANHÃ



AMO-TE HOJE E AMANHÃ

Corre-me nas veias
Esta forma de amar subtil
E, não escrevo para que leias 
Nem tão pouco para ser gentil

Amo-te hoje, e amanhã
Amo os teus olhos, teus cabelos
E, o que primeiro faço pela manhã
É acariciá-los, e ficar a vê-los 

Amo-te com o meu sorriso
E, através do teu beijo
E, crê, que não fico indeciso
Pois és tudo que mais almejo

Calo em mim esse teu beijo
Que me embriaga, e vicia 
E, que sempre o desejo
Seja noite, ou seja dia

Esse beijo que não engana
Que é verdadeiro, e dá-me alento 
E, mantém em mim acesa a chama
Não dá espaço ao esquecimento

Menosprezo o tormento 
Que um dia possa vir a ter
Voo para ti através do vento
Aconteça o que acontecer

Amo-te pelo que me fazes ser
Amo-te com erros, e acertos
Amo-te és a minha razão de viver
Amo-te até nos momentos incertos

Luís Filipe D. Figueiredo

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

PAREI DE TE AMAR JÁ ERA DIA



PAREI DE TE AMAR JÁ ERA DIA

Parei de te amar já era dia
A madrugada tinha passado 
E, a tua linda boca sorria
De felicidade, por te ter amado

Ai como é maravilhoso recordar
Cada caricia que te fiz
E, sentir esta sensação, e guardar
No meu coração este momento feliz

Quero viver contigo 
Quero amar-te eternamente
E, prometer-te que comigo

Cada dia vai ser diferente
Eu serei o teu abrigo
E, vou-te amar docemente 


Luís Filipe D. Figueiredo

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

QUEM ME FAZ FELIZ ÉS TU



QUEM ME FAZ FELIZ ÉS TU 

Quem me faz feliz és tu
És o sol, da minha vida
Adoro ver o teu corpo nu
E, essa tua alma despida

Quando oiço a nossa canção
Recordo-te, e começo a sonhar
Acaricio-te, e sinto a sensação
E, o desejo, de te querer beijar

Viajo contigo por montes, e vales
Nos amamos loucamente
Mando embora os meus males
E, todo eu me sinto diferente

E, nesta paixão desmedida
Percorremos a Lua, e as Estrelas
Onde finalmente; encontramos guarida
E, nos deixamos permanecer dentro delas

Luís Filipe D. Figueiredo

terça-feira, 6 de outubro de 2015

COBRI A TUA CAMA COM PÉTALAS



COBRI A TUA CAMA COM PÉTALAS

Cobri a tua cama com pétalas
Das rosas do meu jardim 
Rosas vermelhas, e belas 
Todas elas plantadas por mim

Para perfumarem o teu corpo
E, satisfazerem os teus desejos 
Fazendo-me sentir louco
E, cobrir o teu corpo de beijos 

Quero sentir-me embriagado 
E, unificar o meu corpo ao teu
Para que fique impregnado 

O teu odor, no meu
Quero estar apaixonado 
E amar-te como só eu

Luís Filipe D. Figueiredo

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

AMO-TE, TANTO MINHA VIDA



AMO-TE, TANTO MINHA VIDA 

Amo-te, tanto minha vida 
Só tu és o meu amor
Amor, que me causa ferida
E, cada dia se torna maior 

Quanto maior é o meu ardor 
Ao olhar o céu, repleto de estrelas
São tão maravilhosas, e belas
Que dispensam orador

Persuadem por si mesmas 
Tão intensa, é a sua magia
Que, eu perplexo ao vê-las 

Sinto uma enorme nostalgia
Comparo-te com elas
E, voo nesta imensa travessia

Luís Filipe D. Figueiredo

sábado, 3 de outubro de 2015

OLHO DENTRO DE MIM



OLHO DENTRO DE MIM

Olho dentro de mim
E, procuro encontrar
Aquele amor sem fim
Que um dia vi no teu olhar 

Viro e reviro 
As minhas entranhas
E, com um suspiro 
Imploro que venhas

Quero-te ver 
Meu grande amor
Não consigo esquecer

O teu vigor
Volta a aparecer 
Quero sentir, o teu odor 

Luís Filipe D. Figueiredo

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

SINTO SEDE DOS TEUS BEIJOS



SINTO SEDE DOS TEUS BEIJOS

Sinto sede dos teus beijos
E, desejo do teu corpo
Não esqueço os teus traços
Nem o teu sorriso maroto 

Lê, baixinho o meu soneto 
Acompanha-o ao piano
E, garanto, e te prometo 
Que sentirás como te amo

Vais ouvir no teu ouvido
Lindas palavras de amor
Quando me tiveres sentindo 

Dentro de ti, com fervor
Ouve, ouve como ele é lindo
E, sente-me meu amor

Luís Filipe D. Figueiredo