Total de visualizações de página

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

PALMILHO OS CAMINHOS LENTAMENTE



PALMILHO OS CAMINHOS LENTAMENTE

Palmilho os caminhos lentamente
Com os olhos pregados no além
A meu lado, está tanta gente 
E, eu sinto-me só, sem ninguém

O dia está cinzento, e frígido 
Tão gelado, como a minha alma
E, pouco a pouco vai enegrecendo 
Com o aproximar da noite calma

Triste por não te avistar 
Toco o meu trompete 
Para assim te chamar

Com o seu som potente 
E, desta forma aliviar
A dor que o meu coração sente 

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

2015-11-25

Nenhum comentário:

Postar um comentário