Total de visualizações de página

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

SEM HIPÓTESE DE RETORNO


SEM HIPÓTESE DE RETORNO

Desnudo o teu corpo lentamente
Com as mãos envolvo teus seios 
E, entrego-me deliberadamente
A amar-te, sem receios

A tua roupa largada no chão
Lembra um campo de batalha
Transmitindo-me a sensação 
Que estou no fio da navalha

Sem hipótese de retorno
Nossos corpos rolam na areia 
Tendo a lua como adorno 

O nosso amor presenteia
E, o teu corpo ainda morno 
O meu, docemente saboreia

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

2 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito obrigado Zilmma, que a tua segunda-feira seja repleta de felicidade, é o meu desejo linda flor. Beijinho!

      Excluir