Total de visualizações de página

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

A CHUVA CAÍA, E EU TE OLHAVA


A CHUVA CAÍA, E EU TE OLHAVA 

A chuva caía, e eu te olhava. 
Naquele dia, de tudo ou nada. 
A chuva caía, e eu te chamava. 
Com alma amargurada.

A chuva caía, e te molhava. 
E, o teu vestido se confundia.
Com o verde, que te rodeava. 
Naquele chuvoso dia. 

A chuva caía, e não parava.
E, a tua alma desesperada.
Por mim gritava. 

Naquele dia, apavorada. 
A chuva caia, e não cessava.
Minha princesa, minha amada.

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

Nenhum comentário:

Postar um comentário