Total de visualizações de página

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

SOU BARCO SEM RUMO


SOU BARCO SEM RUMO

Sou barco sem rumo.
A naufragar. 
Sou nuvem de fumo. 
Que não deixa respirar.

Sou pedra sem nome.
De pouco valor.
Sou criança com fome.
Com sede de amor.

Sou ave perdida. 
Sem saber para onde voar.
Sou terra empobrecida.

E, semente sem germinar.
Sou alma estarrecida. 
Se não te posso amar.

Luís Filipe D. Figueiredo 

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

Nenhum comentário:

Postar um comentário