Total de visualizações de página

terça-feira, 13 de setembro de 2016

NUMA VIAGEM INCESSANTE


NUMA VIAGEM INCESSANTE

Numa viagem incessante 
Encontrei te no fundo do mar
O teu corpo outrora distante
Estava agora prestes a abraçar 

A minha boca procurava a tua
O teu corpo procurava o meu
E, a minha alma sentiu-se nua 
Com o gemido que a tua deu 

Movimentos lentos, e suaves 
Fizeram a nossa aproximação
Não causando entraves 

À nossa bela união 
Presenciada por peixes, e aves
Que me surgiram na imaginação

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

NUMA VIAGEM INCESSANTE


NUMA VIAGEM INCESSANTE

Numa viagem incessante 
Encontrei te no fundo do mar
O teu corpo outrora distante
Estava agora prestes a abraçar 

A minha boca procurava a tua
O teu corpo procurava o meu
E, a minha alma sentiu-se nua 
Com o gemido que a tua deu 

Movimentos lentos, e suaves 
Fizeram a nossa aproximação
Não causando entraves 

À nossa bela união 
Presenciada por peixes, e aves
Que me surgiram na imaginação

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)