Total de visualizações de página

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

NÃO ME PEÇAS QUE TE ESQUEÇA


NÃO ME PEÇAS QUE TE ESQUEÇA

Não me peças que te esqueça.
Que, eu não o consigo fazer.
A falta da tua presença. 
Me faria certamente morrer.

Fazes parte dos meus sonhos.
Quando estou a dormir.
Tornas os meus dias risonhos.
E, fazes o amor em mim existir.

Sentir-me-ia uma ave perdida.
Sem rumo para onde voar.
Um náufrago, na descida.

Que está prestes a se afogar.
Um corpo, e uma alma, ferida. 
Sem fôlego para respirar.

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

NÃO ME PEÇAS QUE TE ESQUEÇA


NÃO ME PEÇAS QUE TE ESQUEÇA

Não me peças que te esqueça.
Que, eu não o consigo fazer.
A falta da tua presença. 
Me faria certamente morrer.

Fazes parte dos meus sonhos.
Quando estou a dormir.
Tornas os meus dias risonhos.
E, fazes o amor em mim existir.

Sentir-me-ia uma ave perdida.
Sem rumo para onde voar.
Um náufrago, na descida.

Que está prestes a se afogar.
Um corpo, e uma alma, ferida. 
Sem fôlego para respirar.

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)