Total de visualizações de página

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

LIBERTO A ALMA PARA O MUNDO


LIBERTO A ALMA PARA O MUNDO

Liberto a alma, para o mundo.
Sempre que começo a voar.
E, o teu lindo coração; inundo. 
Com o amor, que do meu deixo brotar.

Não canso de viajar contigo.
É um desejo firme, e constante. 
Tão intenso, que não consigo.
Esquecer-te por um instante.

Viajo em nuvens brancas
Construo castelos, no ar.
Acaricio as tuas ancas. 

E, o teu corpo, não paro de beijar.
Proponho-te brincadeiras lúdicas.
Que te fazem gemer, e suspirar. 

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

LIBERTO A ALMA PARA O MUNDO


LIBERTO A ALMA PARA O MUNDO

Liberto a alma, para o mundo.
Sempre que começo a voar.
E, o teu lindo coração; inundo. 
Com o amor, que do meu deixo brotar.

Não canso de viajar contigo.
É um desejo firme, e constante. 
Tão intenso, que não consigo.
Esquecer-te por um instante.

Viajo em nuvens brancas
Construo castelos, no ar.
Acaricio as tuas ancas. 

E, o teu corpo, não paro de beijar.
Proponho-te brincadeiras lúdicas.
Que te fazem gemer, e suspirar. 

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)