Total de visualizações de página

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

CONFESSO, QUE SENTI MEDO



CONFESSO, QUE SENTI MEDO 

Confesso, que senti medo. 
No dia em que te conheci. 
Finalmente; estavas ali. 
E, eu estava tremendo. 

No dia em que te conheci. 
O dia foi tão diferente. 
Tão diferente, que não esqueci. 
O quanto, não cabia em mim, de contente. 

No dia em que te conheci. 
O sol aquecia a terra. 
Para mim, e para ti. 

Para vivermos, uma quimera. 
No dia em que te conheci. 
Nada mais foi, como era. 

Luís Filipe D. Figueiredo 

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

Nenhum comentário:

Postar um comentário