Total de visualizações de página

quinta-feira, 25 de maio de 2017

ACARICIO O TEU CORPO NU


ACARICIO O TEU CORPO NU

Quando a minha pele suave.
Toca o fundo da tua alma.
Não surge nenhum entrave.
E, eu te amo com calma.

Acaricio o teu corpo nu.
E, sugo os teus belos seios.
Esqueço quem és tu.
E, perco-me nos meus devaneios.

Deixando-me inebriar. 
Com o cheiro que tu exalas.
O meu coração a palpitar.

Grita, que me amas.
E, chega a suplicar.
Por o teu corpo, a arder em chamas.

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

Um comentário:

  1. Tão profundo e com sútil sensualidade, este teu lindo e maravilhoso soneto! Essa melodia é tão gostosa de se ouvir! Que nos faz voar e sonhar acordada! Parabéns Luís! Bj no coração! Noite feliz, sonhos lindos!!

    ResponderExcluir