Total de visualizações de página

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

CONSIGO TOCAR, O INTOCÁVEL.


CONSIGO TOCAR, O INTOCÁVEL.

Consigo tocar o intocável.
Quando vejo o teu corpo, e não o tenho.
Consigo ver o teu ar afável.
Sempre que quero, e me empenho.

Consigo sentir, a tua respiração.
E, o suave perfume, que o teu corpo exala.
Mesmo que estejas no meio da multidão.
O odor da tua cútis, ninguém iguala.

Consigo tocar, o intocável.
Mesmo que te reduzam a cinza, ou pó
Sinto-te de forma inimaginável. 

Sinto-te amor, mesmo que esteja só.
Não o fazer, seria imperdoável.
E, eternamente de mim sentiria dó.

Luís Filipe D. Figueiredo

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)

CONSIGO TOCAR, O INTOCÁVEL.


CONSIGO TOCAR, O INTOCÁVEL. 

Consigo tocar o intocável. 
Quando vejo o teu corpo, e não o tenho. 
Consigo ver o teu ar afável. 
Sempre que quero, e me empenho. 

Consigo sentir, a tua respiração. 
E, o suave perfume, que o teu corpo exala. 
Mesmo que estejas no meio da multidão. 
O odor da tua cutis, ninguém iguala. 

Consigo tocar, o intocável . 
Mesmo que te reduzam a cinza, ou pó 
Sinto-te de forma inimaginável. 

Sinto-te amor, mesmo que esteja só. 
Não o fazer, seria imperdoável. 
E, eternamente de mim sentiria dó. 

Luís Filipe D. Figueiredo 

Todos os direitos reservados
Lei de Direitos de Autor (Lei 9610/98)